Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


Alcochete 1

por Júlia, em 31.07.15

De Alcochete tinha a vaga lembrança de passar de carro na rua que acompanha a margem do rio Tejo, em longínquos dias quando, para ir de Lisboa para o Alentejo, se passava, neste caso, pela Ponte 25 de Abril, ou, em alternativa, pela ponte de Vila Franca de Xira.

Num dia de julho visitei esta vila, sede de antigo concelho que, no século XVI pertencia à comarca de Entre Tejo e Odiana e integrava as vastas terras da Ordem de Santiago que abrangiam os concelhos da metade ocidental do Alentejo e, a sul, nesta província, se prolongavam para oriente até à fronteira com Espanha, incluindo o concelho de Mértola.

Na parte mais antiga da vila, não pode deixar de se admirar a igreja, embora só tenha sido possível ver o exterior. Como acontece na maior parte dos casos, estava fechada. Num dia relativamente quente, foi agradável gozar a sombra das árvores do jardim junto da igreja, bem como a vista para a praça com alguns edifícios muito interessantes forrados a azulejo.

igreja.jpg

A igreja e o jardim

casas.jpg

 Casas do largo fronteiro à igreja

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 16:32

Ermida de Nossa Senhora da Conceição

por Júlia, em 08.08.13

Em Elvas, encastrada nas muralhas seiscentistas e sobre a porta da fortaleza virada a oeste.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:03

Igreja de Flor da Rosa

por Júlia, em 18.05.13

Edifício muito elegante. Adjacente, a capela que serviu para acolher o túmulo de D. Álvaro Gonçalves Pereira depois da derrocada do mosteiro. O interior é sóbrio mas muito bonito.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 17:10

Vale de Açor de Cima

por Júlia, em 12.07.12

Viajar no Alentejo significa percorrer grandes distâncias sem encontrar nenhuma povoação. As aldeias são, em geral, de grandes dimensões. Mas há áreas que constituem exceção, como é o caso do concelho de Mértola, com uma antiga dispersão do povoamento.

Na estrada que liga Portel a Mértola, surge supreendentemente, numa elevação, uma igreja e um pequeno aglomerado de casas. Trata-se de Vale de Açor de Cima. Não se via ninguém por ali.

Na porta da igreja um aviso do padre informava do horário da missa e deixava um número de telemóvel.

Algumas jovens alfarrobeiras, rodeadas de ervas secas, contrastavam com o verde vibrante da vinha.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 08:37

Igreja de Nossa Senhora da Orada

por Júlia, em 22.04.11

 

Segundo informação existente no local, A Igreja Paroquial de Nossa Senhora da Orada "foi erigida no século XVIII, de estilo rústico alentejano, feito de raiz exceptuando a sacristia que remonta à época de quinhentos.A frontaria, de empena triangular e janelão marmóreo,é protegida por vulgar alpendre. A fachada lateral norte é flanqueada por potente torre, de cúpula bolbosa e gigante coberto de telha".

 

 

 

 

 

 

Pormenor do gigante lateral da igreja.

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 08:48

Cano. Igreja

por Júlia, em 28.05.10

 

Igreja Matriz, ou de Nossa Senhora da Graça, com portal renascentista.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 08:01

Igreja de Alpalhão

por Júlia, em 12.05.10

 

 

 

Igreja Matriz de Alpalhão. Ressalta o portal em granito da região e o equilíbrio da fachada.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 08:15

Igreja de Casa Branca

por Júlia, em 19.04.10

 

Igreja Matriz de Casa Branca, dedicada a Nossa Senhora da Graça. Datada do século XVIII, tem um portal neoclássico em granito. O interior também terá o seu interesse, mas não foi possível visitá-lo porque, como é mais ou menos habitual, as igrejas encontram-se encerradas.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 08:21

Arcos. Igreja

por Júlia, em 22.03.10

 

Segundo informação recolhida no local, a igreja de Arcos, consagrada a Santo António, terá sido fundada no século XV ou início do século XVI.  Há notícias da sua existência no início do século XVI e alguns dos seus elementos são atribuídos a esta época, nomeadamente, o portal de mármore, debaixo do alpendre frontal e os azulejos que se encontram no interior. Não foi possível ver o interior do templo, dado se encontrar encerrado.

Na torre mais baixa, um nicho encerra a imagem de Santo António.

 

O portal de mármore que se encontra debaiso do alpendre.

 

A torre sineira e do relógio.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:53

S. Bento do Ameixial

por Júlia, em 30.01.10

Num dia de chuva, de regresso da região de Lisboa, fomos espreitar a aldeia de S. Bento do Ameixial. É uma povoação muito pequena, na qual se destaca a igreja, de arquitectura popular. Provavelmente, a igreja original terá sido acrescentada em cada um dos lados, com as edificações que se vêem na foto, mas que não acompanham toda a parede lateral do templo. As traseiras mantêm a dimensão original e, na frontaria, a fita vertical pintada a azul,  sugere o limite da primitiva igreja.

 

Apesar do dia cinzento, sobressai a brancura das paredes caiadas da igreja.

 

Nas traseiras, em cada um dos ângulos do edifício, a estrutura é reforçada  por estes elementos.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 08:39


Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2010
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2009
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2008
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2007
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2006
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D