Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


Fonte em Cabeço de Vide

por Júlia, em 08.07.08

Fonte datada de 1892. À direita, seguindo o poial que se vê na foto, está o bebedouro para os animais.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 08:07

S. Zacarias

por Júlia, em 02.07.08

S. Zacarias representado num azulejo, na parede de uma casa, em Cabeço de Vide.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:31

A estação de Cabeço de Vide

por Júlia, em 09.04.08

Num Guia de Portugal que, em tempos, foi publicado e distribuído pelo semanário Expresso, escrevia-se o seguinte sobre a estação de Cabeço de Vide: "Esta espelha a atitude da CP perante as linhas desactivadas. É uma pequena jóia a caminho da degradação, com janelas e pináculos em cantaria de granito; nas paredes, painéis de azulejo com motivos bucólicos, assinados «Battistini 1933»".

Existe neste Guia uma fotografia que mostra a linha de caminho de ferro coberta de vegetação e vêem-se os painéis de azulejo da gare, que hoje já não existem, e um na fachada lateral, do qual resta muito pouco. O desastre não foi total porque, entretanto, o edifício da estação foi ocupado por um hotel e nos antigos armazéns está agora instalado  um restaurante.

Os painéis que pude observar encontram-se na fachada oposta à da gare, voltada para o largo de acesso à antiga estação. Não é muito fácil fotografá-los devido aos vasos de plantas que os proprietários do hotel lá colocaram. Além dos já mostrados aqui e aqui, conseguimos registar estes que são uma boa amostra de cenas de um tempo e de uma sociedade que nos parecem já muito distantes.

 

 

 

 

 

 

Junto ao friso superior e na extremidade das fachadas, o elemento decorativo que se segue e que se pode ver muito sumido  na foto antiga do Guia do Expresso. Aparece agora bem destacado pelo facto de ter sido pintado de cores vivas.

 

 

                

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 09:18

Cabeço de Vide. Paisagens

por Júlia, em 24.03.08

Paisagem alentejana vista de Cabeço de Vide. Janeiro de 2008.

 

Pode avaliar-se o crescimento de Cabeço de Vide por esta imagem que mostra parte dos novos bairros da povoação.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 09:51

Cabeço de Vide. Rua e casas

por Júlia, em 22.03.08

Cabeço de Vide é uma povoação que vale a pena visitar e apreciar com todo o vagar. A antiga vila desenvolveu-se a partir do cimo do monte, onde ainda existem restos do castelo medieval e os símbolos de governo do extinto concelho - casa da câmara e pelourinho. Ao longo da encosta vão-se estendo as ruas com casas ora de aspecto modesto, ora indiciando a riqueza dos seus proprietários. O conjunto é muito bonito e as casas estão bem cuidadas. É evidente que, como em todo o lado, algumas casas se apresentam em estado de degradação. Mas, como são em minoria, não afectam a impressão geral que se tem da vila. 

 

Uma das ruas do centro histórico

 

Casa com decoração em relevo pintada a amarelo.

 

Casa com sacadas protegidas por grades do século XVIII.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 09:50

Cabeço e Vide. Capelas e Igrejas

por Júlia, em 20.03.08

Capela de Nossa Senhora dos Anjos, reconstruída no século XVIII. Era local de romaria na 2ª feira a seguir à Páscoa.

 

No Largo de Nª. Srª do Carmo esta capela encontrava-se em obras de recuperação, aparentemente para uma função diferente do culto.

 

Igreja de Nª Srª do Carmo, matriz de Cabeço de Vide, com elementos construídos no século XVI. Tem uma inscrição que indica que está à altitude de 336m.

 

Igreja da Misericórdia e Santa Casa da Misericórdia de Cabeço de Vide.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 09:49

Cabeço de Vide, Torre do Relógio

por Júlia, em 18.03.08

 

A Torre do Relógio, anexa ao edifício da antiga câmara municipal.

 

 

Porta de entrada para a Torre.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 09:25

Pelourinhos (6)

por Júlia, em 17.03.08

Deixando a parte baixa da povoação e subindo as íngremes ruas, chega-se ao largo largo onde se situa a antiga casa da câmara e o pelourinho.

 

 

O pelourinho de Cabeço de Vide, construído no século XVI. Feito em granito, este monumento testemunha a antiga condição de Cabeço de Vide como sede de concelho. Ao fundo pode ver-se a antiga casa da câmara e a torre comunal, também construídas no século XVI.

 

O pelourinho, a casa da câmara e a torre comunal representados num dos painéis de azulejos da antiga estação de caminho de ferro.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 09:17

Cabeço de Vide. Cruzeiro

por Júlia, em 15.03.08

O cruzeiro de Cabeço de Vide terá sido erguido no século XVI e é todo feito em mármore.

 

 O cruzeiro, vendo-se, à esquerda, a Igreja do Espírito Santo e, ao fundo, parte do Rossio.

 

 Neste lado da cruz, uma imagem de Nossa Senhora da Piedade.

 

No lado oposto, Cristo crucificado.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 09:16

Do Rossio vêem-se as traseiras da Igreja do Espírito Santo. A frente da igreja dá para um largo que se encontrava em obras (finais de Janeiro de 2008). O edifício, recentemente objecto de recuperação, resplandecia na sua brancura,  constrastando com o azul do céu.

 

 Vista geral da Igreja do Espírito Santo, cuja construção data do século XVI.

À direita vê-se o cruzeiro.

 

 A representação da Igreja do Espírito Santo e do cruzeiro no painel de azulejo da antiga estação de caminho de ferro, hoje ocupada por uma unidade hoteleira. Intencionalmente, deixei na foto parte da inscrição que se encontra por cima do painel: "Norte Alentejo. Onde o tempo é tempo".

 

A torre sineira

 

 O portal de mármore da igreja.

 

O interior da igreja

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:09


Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2010
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2009
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2008
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2007
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2006
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D