Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Construção circular de Barbacena

por Júlia, em 28.11.07

Na visita que fizémos a Barbacena, descobrimos esta construção circular, no interior de uma propriedade murada.

Foi difícil fazer esta fotografia porque a distância a que estava a construção era relativamente grande e havia que resolver o problema do muro e, sendo de manhã, da incidência dos raios solares.

É muito parecida com as choças que foram fotagrafafas por Orlando Ribeiro, perto de Nisa, e Raquel Soeiro de Brito em Cabeçudos, Marvão (Orlando Ribeiro, Geografia e Civilização. Temas Portugueses. Livros Horizonte). Os materiais de construção destas são: na primeira a terra; na segunda a pedra, com cobertura de giesta.

 

 

A de Barbacena apresenta gigantes exteriores, elementos fundamentais nas construções de adobe e que servem para contrariar a tendência para as paredes abaularem por efeito do peso da cobertura. Neste caso, a cobertura é, actualmente, de telha.

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

publicado às 11:06


5 comentários

Sem imagem de perfil

De artesaoocioso a 29.11.2007 às 00:15

Não conhecia construções deste tipo.
Devem ser um bocado antigas.
Imagem de perfil

De Júlia a 29.11.2007 às 10:32

Nalguns castros pré-históricos as casas tinham uma planta circular.
Como pode ver na 2ª foto, a de Raquel S. de Brito, na primeira metade do séc. XX ainda eram habitadas em Cabeçudos.
A de Barbacena deve ser muito antiga e terá sido recuperada para arrumos da actividade agrícola. Digo isto pelo tipo de construção. Há bastante tempo que não se utiliza o adobe como material de construção. O que terá de mais moderno é o telhado.
Imagem de perfil

De A VER NAVIOS a 30.11.2007 às 21:10

Qu fique bem claro que sou um tótó na matéria, as pelo que vejo na primeira e na última imagens, tenho de dizer que já vi algo muito parecido, no alto da serra da Lousa.
São o que creio se chama neveiras, ou algo assim. Não eram mais que locais onde nos séculos XVIII e XIX se armazenava gelo, que depois transportavam para a corte, para Lisboa.
Os edifícios em si são parecidos.
Peço desculpa, se isto for um grande calinada. Não faço sequer ideia se os que apresenta estão em locais de muita altitude.
J. Lopes
Imagem de perfil

De Júlia a 01.12.2007 às 11:07

Caro amigo Lopes
A função destas construções pode ser variada. Como já disse em resposta a outro comentário, esta planta circular encontra-se nos castros pré-históricos.
Nas fotos do livro de Orlando Ribeiro, uma delas servia para abrigo e a outra, a segunda, era ainda habitada (deve ter sido tirada por volta dos anos 40 do século passado). Os moinhos de vento também seguem esta forma de construção.
As construções que refere, na serra da Lousã, não as conheço, mas é lógico que tenham sido feitas para essa função.
A que fotografei, em Barbacena, perto de Elvas, situa-se numa região relativamente plana e parece-me que serve para apoio à agricultura. O mais notável nesta são os gigantes exteriores, sinal de que é bastante antiga. O adobe já não é utilizado, normalmente, para a construção.
E, se faz, favor, não me fale em calinadas...
Cumprimentos
J. Galego
Imagem de perfil

De A VER NAVIOS a 01.12.2007 às 13:43

Para melhor exemplificar o que digo, convido-o a ver a foto que hoje publiquei no meu blogue de fotografias.
Fico entretanto a aguardar o seu comentário.
Bom fim de semana,
J. Lopes

Comentar post



Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2012
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2011
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2010
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2009
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2008
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2007
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2006
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D