Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Razia

por Júlia, em 09.11.07

No dia 4 de Novembro resolvemos continuar a visitar as aldeias e vilas da região. Seguimos a estrada em direcção a Sousel, mas desviamo-nos para visitar Stº Amaro, aldeia que pertence  a este concelho.

A aldeia tem poucos motivos de interesse. As casas estão muito modificadas, no pior sentido; muitas ostentam nas frontarias coberturas de azulejos e outras decorações de gosto mais ou menos duvidoso.

Parámos num largo para ver a igreja da vila, um dos poucos edifícios com algum interesse, e deparámos com um espectáculo pouco edificante: todos os plátanos existentes no largo e nas ruas adjacentes estavam cortados como se pode observar na foto.

 

Como é evidente pela imagem, trata-se de plátanos relativamente jovens. Estes não puderam brindar-nos com o espectáculo da cor outonal das suas folhas.

 

Plátano do pátio de uma escola do 1º ciclo do ensino básico. Os cortes mostram que o "trabalho" da poda foi feito há pouco tempo.

Deixámos Stº Amaro e rumámos a Sousel. Aqui não vimos um único plátano, quer no jardim, quer em praças e ruas dos arredores, que não tivesse sido cortado tal como os que tinhamos visto antes.

Fico com uma dúvida: terá a autarquia de Sousel querido, com esta poda dos plátanos, poupar trabalho aos funcionários da limpeza? A queda das folhas exige mais esforço,  durante mais tempo, do que cortá-las todas de uma só vez.

Mas a consequência disto pode ser a morte das árvores, como já pude verificar noutro local.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 09:28


17 comentários

Sem imagem de perfil

De kaska a 09.11.2007 às 22:21

Bom fim de semana
Cumprimentos
Imagem de perfil

De Júlia a 10.11.2007 às 16:21

Também lhe desejo bom fim de semana
Cumprimentos
Sem imagem de perfil

De mesquita a 03.10.2009 às 19:34

Venho por este meio solicitar informação sobre a poda de Platanus e sobre o respectivo impacto biologico na propria arvore , pois recentemente onde moro deparei me com algumas podas de platanos que mutilizaram de tal forma a arvore com cortes de mais de 30 com de diametro sem colocar cicatrizante ,ao que eu indignado perguntei ao responsavel pela gestão do Aldeamento onde moro, quem podou ou mandou podar a arvore de tal forma ao que me respondeu "eu sou o presidente faço o que quero".Se arvore morrer onde se enquadra esta situação a nivel da legislaçao.
Imagem de perfil

De Júlia a 04.10.2009 às 12:55

Sobre a poda das árvores pode encontrar alguns textos importantes no blogue "Dias com Árvores" e no blogue "Sombra Verde" (tenho links para os dois na barra direita do meu blogue).
Poderá, no entanto, seguir a indicação que é dada no comentário de Pedro Santos, do dia 11 de Novembro de 2007, que se encontra abaixo deste.
Segundo parece, não há legislação sobre o corte das árvores, a não ser aquelas que se encontram protegidas legalmente, como so sobreiros, e, mesmo estas, muitas vezes são abatidas ao abrigo de decisões mais ou menos razoáveis.
Imagem de perfil

De carlosgil a 11.11.2007 às 01:18

Caro amigo:
Quem não vive neste região, naturalmente que não se apercebe dos problemas que envolvem, o tema a que V. Exa. se indignou. Plátanos podados. Para que tenha uma mínima noção do que aconteceu em sousel em dias de vendaval, colo-lhe o endereço de um post que publiquei no souselalentejo.blogs.sapo.pt. Certamente terá uma ideia diferente se lhe disser que , as árvores a que V. Exa se refere em dias de vento, chuva e vendaval, simplesmente são projectadas ramadas das mesmas, provocando danos em automóveis, casas, pessoas etc... Preso mais a vida humana que uma árvore. O endereço do post é o seguinte:
http://souselalentejo.blogs.sapo.pt/18943.html#comentarios

Sem imagem de perfil

De Pedro a 11.11.2007 às 13:59

Exmo Senhor Carlos Gil,

Nas noite de temporal os acidentes podem ocorrer, é certo. A única maneira eficaz de os evitar a 100% seria cortando todas as árvores...mas não só! Retirando todas as telhas dos telhados; retirando todos os andaimes das obras e as gruas; cortando todos os postes de electricidade e telefone, etc.

É muito bonito e produz um grande efeito vir para a "blogosfera" com frase do género: "Preso mais a vida humana que uma árvore". Sim, e aqueles que defendem uma correcta gestão do património arbóreo estão contra as vidas humanas!!!

Sabe qual é um dos principais problemas de Portugal...é que toda a gente tem opinião sobre tudo e toda a gente se julga "especialista" em todas as matérias!

As árvores são essenciais nas cidades e não apenas por efeitos estéticos. Renovam o ar e retiram da atmosfera gases poluentes, amenizam o clima e o efeito "ilha de calor" dos aglomerados urbanos (ainda para mais numa região como o Alentejo); ajudam à infiltração das águas pluviais, etc. etc,.

Tudo isto são evidências científicas. Tal como é uma evidência científica que uma poda mal feita é a principal responsável por acidentes como os que descreve, pois estas originam árvores debilitadas que produzem ramos frágeis que são mais facilmente arrancados durante temporais. Mas talvez o senhor saiba mais do que os especialistas na matéria como a Sociedade Portuguesa de Arboricultura.

E não deixa de ser estranho que nos Estados Unidos e no Norte da Europa, países afectados por temporais mais violentos e frequentes do que os do Sul da Europa, não exista a tradição de decepar as árvores como em Portugal. Serão ignorantes? Serão suicidas que não sabem que as "árvores grandes" caem? Terão serviços de protecção civil mais incompetentes que os portugueses? Já agora, porque não cairão as sequóias da Califórnia com mais de 100 metros...não estarão a necessitar de uma poda à portuguesa?

A verdade é apenas esta: a maioria das autarquias portuguesas não tem profissionais do sector a gerir estas situações; escolhem mal as árvores a plantar e depois resolvem a questão à "lei da moto-serra"; como se podar uma árvore, tal como qualquer tarefa técnica, não exigisse elevado saber técnico...ou como se podar oliveiras fosse o mesmo que podar um plátano ou um choupo.

E a consequência depois é a que se vê: árvores deformadas que produzem ramos que ao menor vento são projectados para a via pública. E a culpa é das árvores e não de quem as poda de forma incompetente! Conclusão brilhante...

Por acaso um serralheiro saberá fazer uma operação ao coração? Então porque é que qualquer pessoa saberá podar uma árvore? Isto dá que pensar!...

Ao contrário do que pensa, ser a favor das árvores não é ser contra as pessoas ou a sua segurança. Antes pelo contrário!

Deixe-lho apenas duas das muitas sugestões de leitura que lhe poderia deixar acerca deste assunto:

http://dias-sem-arvores.blogspot.com/search?q=deixem-nas+crescer

http://dias-sem-arvores.blogspot.com/search?q=coimbra


Com os melhores cumprimentos,
Pedro Santos, licenciado em Biologia
Sem imagem de perfil

De GIL a 11.11.2007 às 18:05

Caro amigo...Não respondo a provocações,.
Sem imagem de perfil

De GIL a 11.11.2007 às 21:15

Caro AMigo:
Não quero, não devo nem sequer estou interessado em defender a câmara Municipal. Pergunte à mesma porque cortou os plátanos...colo o endereço...
http://www.cm-sousel.pt/main.htm
GIL
Imagem de perfil

De Júlia a 11.11.2007 às 17:45

Sr. Carlos Gil
O Dr. Pedro Santos já invocou todas as razões técnicas que tornam estas podas completamente inadequadas.
Só quero acrescentar que, no Alentejo, há plátanos de grandes dimensões, que não foram cortados da maneira que pude ver no seu concelho, e não me consta nenhuma notícia que diga que provocaram grandes prejuízos.
Da visita que fiz ao seu concelho ficou-me uma imagem pouco positiva e não apenas na questão da árvores. Por exemplo, a igreja da Orada é elucidativa de um certo desmazelo: aquela profusão de fios eléctricos dependurados que serviram certamente para alguma festa, ali continuam desfeando o largo e o próprio monumento.
Não podemos andar a publicitar o Alentejo, dizendo que é uma das regiões mais preservadas em termos de património e oferecer imagens como as que tive oportunidade de observar.
E, para quem como eu, procuro mostrar as coisas belas da minha (nossa) terra, não fico nada contente quando vejo algumas menos positivas. E sinto-me na obrigração de contribuir, através da crítica, para que possam melhorar.
Sem imagem de perfil

De Gil a 11.11.2007 às 17:50

meus amigos:
se querem comentar agradeço que o façam no http://souselalentejo.blogs.sapo.pt/ , e terão as respostas que entendemos dar.
Obrigado
Carlos gIL
Sem imagem de perfil

De GIL a 11.11.2007 às 21:14

Caro AMigo:
Não quero, não devo nem sequer estou interessado em defender a câmara Municipal. Pergunte à mesma porque cortou os plátanos...colo o endereço...
http://www.cm-sousel.pt/main.htm
GIL
Sem imagem de perfil

De GIL a 11.11.2007 às 18:03

CARO AMIGO...
NÃO É ISSO QUE ESTÁ EM CAUSA. SE ALGUMA APRECIAÇÃO FEZ DE SOUSEL E DO CONSELHO TEM ESSE DIREITO. AGORA PERGUNTO, O SR. PERGUNTOU A ALGUÉM PORQUE FORAM OS PLÁTANIOS CORTADOS? PERGUNTE E TALVEZ TENHA A RESPOSTA.... MAIS INFORMO QUE PODE REDOMENDIONAR A PERGUNTA PARA O SITIO DA CAMARA MUNICIPAL´...QUE COLO A SEGIR...
http://www.cm-sousel.pt/main.htm
Sem imagem de perfil

De GIL a 11.11.2007 às 21:15

Caro AMigo:
Não quero, não devo nem sequer estou interessado em defender a câmara Municipal. Pergunte à mesma porque cortou os plátanos...colo o endereço...
http://www.cm-sousel.pt/main.htm
GIL
Sem imagem de perfil

De GIL a 11.11.2007 às 21:16

Caro AMigo:
Não quero, não devo nem sequer estou interessado em defender a câmara Municipal. Pergunte à mesma porque cortou os plátanos...colo o endereço...
http://www.cm-sousel.pt/main.htm
GIL
Sem imagem de perfil

De Pedro a 12.11.2007 às 11:19

Júlia,

Obrigado pela amizade. Este "caso" demonstra o muito que há por fazer neste país em termos de educação ambiental; mas porque ambos estamos ligados ao ensino não podemos desistir da pedagogia.

Também por isso sabemos que o pior aluno é o que teima em não querer aprender...ou, dito de outra forma, "o pior cego...".

De resto, e por certos comentários que foram deixados no blogue de Sousel, já deu para entender que, com certas almas, não vale a pena "pregar aos peixes".

Eu apenas diria que há coisas que doem mais do que levar com o ramo de uma árvore...a ignorância é uma delas!

Abraço, boa semana e coragem para continuar a denunciar estas infâmias.

Pedro
Imagem de perfil

De Júlia a 12.11.2007 às 16:33

Olá Pedro
Os comentários do dono do blogue de Sousel e os outros não desmerecem da ideia com que fiquei daquela terra.
Claro que não são estas atitudes e palavras que nos vão desmobilizar de denunciarmos os aspectos negativos que vamos encontrando por estas terras. A liberdade que conquistámos não a vamos hipotecar só porque algumas criaturas gostam de alardear a sua ignorância e não entendem que os outros têm todo o direito de manifestar a sua opinião e de defender as causas que entendem justas.
Um abraço e boa semana de trabalho
Júlia
Sem imagem de perfil

De Faustino Martins a 13.11.2007 às 12:14

Permita que torne aqui público um comentário ao comentário do Sr. Gil ao seu Texto RAZIA, o qual tive o cuidado pedagógico de publicar também no blog do dito senhor.


Tinha em tempos ouvido dizer, com o desagrado com que costumo ouvir estes exagero bairristas, da boca de um bairrista de uma terra vizinha de Sousel, que esta tinha sido criada pelo diabo num dia de ventania. Agora vem um bairrista de Sousel desculpar-se com as ventanias para justificar a barbaridade cometida contra os pobres dos plátanos da sua terra. Afinal, para que é que plantaram as pobrezinhas? Porque não escolheram outras que não precisassem de sofrer tal mutilação? E olhe! Diga lá à excelentíssima "boçalidade" que fez um inteligentíssimo comentário no seu “blogue” que nem sequer fumo tabaco quanto mais "charros" Peço-lhe que leia com mais atenção o "post " que tanto o irritou. A Senhora, porque em todos os sentidos, principalmente no da BOA EDUCAÇÃO, se trata de uma SENHORA, não ofendeu nada nem ninguém. Apenas acusou o hábito BÁRBARO, que agora corre como moda, de grande parte das câmaras (a sua não tem o exclusivo dos disparates), algumas das quais a dita SENHORA já tem denunciado, cortarem barbaramente as árvores, sem razão aceitável e sem proveito. Em nome do respeito e da boa educação que todos nos devemos: Faustino Martins.

Comentar post



Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2010
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2009
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2008
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2007
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2006
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D