Sexta-feira, 19 de Novembro de 2010

Casa em Barbacena

 

Foi numa tarde de Novembro com o céu coberto de nuvens a prometer chuva. A intenção era revisitar Barbacena e algumas das suas belas chaminés. No entanto, não perco a oportunidade de ir registando casas tradicionais cujo destino é muito incerto, sendo muito provável que, mais dia, menos dia, venham a desaparecer.

Numa das ruas, contrastando com casas bem arranjadas, esta com aparência de estar abandonada. Só não imaginava que viesse a suscitar uma acesa discussão entre duas vizinhas. Já me tinha afastado, quando ouvi uma voz, em tom bastante alto, a dizer para outra que não percebia por que razão andavam para ali a fotografar estas casas em tão mau estado. Ao que a outra voz respondia, concordando que não percebia as intenções de forasteiros interessados em coisas que não têm qualquer préstimo e só desmerecem no conjunto da povoação.

Como já estava bastante afastada, acabei por achar que não valia a pena voltar atrás e dar algumas explicações. Até porque não tinha a certeza de ser entendida...

Não foi esta a primeira vez que me aconteceram cenas parecidas com estas. Ninguém estranha que se fotografe uma igreja, um palácio ou um qualquer monumento. Mas estas casas que estão a desaparecer e são testemunho da história das terras alentejanas, ninguém lhes dá qualquer valor.

É evidente que, para os habitantes das povoações, elas representam tempos difíceis, muita pobreza e desconforto. Mas devia existir, por parte de alguma entidade, o interesse por preservar, pelo menos, parte de um património que não sendo monumental, faz parte da cultura alentejana.

concelhos e outros temas:
publicado por Júlia às 08:26
link do post | comentar | favorito
partilhar
7 comentários:
De rafael carvalho a 19 de Novembro de 2010 às 15:10
Eu próprio já estive envolvido em cenas semelhantes.
Pessoas há que com alguma sensibilidade e orgulho percebem imediatamente quais são as intenções do fotógrafo. Outras duvidam das intenções e, neste caso, sinto alguma angustia e desconforto.
Curiosamente quando nestas andanças circulo com a família, miúdos incluídos , o sucesso fotográfico é garantido.
Cumprimentos.
De Júlia a 21 de Novembro de 2010 às 09:52
A cena menos agradável foi com um sujeito que julgou que estava a fotografar a paisagem da quinta (que ele deixou arruinar) a mando de espanhóis que a pretendiam comprar. Claro que eu estava fora da quinta mas, mesmo assim, a criatura não gostou nada.
De resto, tenho encontrado mais casos de estranheza por causa do que acho importante fotografar.
Cumprimentos
De Manuel a 20 de Novembro de 2010 às 18:13
A fotografia ajuda-nos a recordar e a preservar 'memórias'.
----------
Felicidades
Manuel
De Júlia a 21 de Novembro de 2010 às 09:52
Agradeço a visita e o comentário. Já fui espreitar o seu blogue. Irei lá com mais vagar.
De Luiz a 21 de Novembro de 2010 às 14:30
Certos povos desenvolveram a superstição de que a câmara fotográfica é capaz de roubar as almas...
De Júlia a 21 de Novembro de 2010 às 17:49
Nunca se sabe...
De marta a 20 de Fevereiro de 2011 às 23:14
adorei a minha casa tb tava axim eu moro perto dexa casa e ja n volta a tirar fotos pk ja caiu a chamine

Comentar post

.mais sobre mim

O Entre Tejo e Odiana foi distinguido com o prémio Zé de Mello '09, na categoria Blogosfera Regional. . Agradeço a todos os que votaram. . http://josedemello.blogspot.com/

.Junho 2018

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
15
16
18
19
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

.Onde estou


Ver mapa maior

.pesquisar

 

.posts recentes

. Lixo

. Rua e telhados

. Rosa

. Na albufeira do Caia

. Orquídeas e camélias...

. Março

. Dia da poesia

. Flores

. Rua de Barbacena

. Laranjas e limões

. Mercado mensal

. Olival

. Noite de Natal

. Medronheiro

. Chuva

.arquivos

.concelhos e outros temas

. abrantes

. alandroal

. alcochete

. alcoutim

. aldrabas

. alentejo

. alter do chão

. ambiente

. animais

. arraiolos

. arronches

. artesanato

. árvores

. avis

. beiras

. beja

. borba

. caia

. campo maior

. castelo de vide

. castro verde

. coretos

. crato

. culturas

. educação

. elvas

. ericeira

. estremadura

. estremoz

. eventos

. évora

. festas do povo 2011

. festas do povo 2015

. flores

. fontes

. fronteira

. gavião

. igrejas

. jardim

. lisboa

. marvão

. mértola

. monforte

. montemor-o-novo

. montijo

. mora

. moura

. mourão

. música

. nisa

. olivença

. paisagens

. pelourinhos

. pessoal

. plantas

. ponte de sor

. portalegre

. portel

. porto

. postdoano

. póvoa de varzim

. redondo

. reguengos de monsaraz

. rios

. segundo

. serpa

. setúbal

. sousel

. trás-os-montes

. viana do alentejo

. vidigueira

. vila viçosa

. todas as tags

.favoritos

. Revisitando Serpa - ruas ...

. Choça

. Aldeia de Sande

. Ribeira de Seda, Pisão

. Entre Tejo e Odiana

. Igreja de Santo Aleixo

. Pôr-do-sol sobre a albufe...

. O nascer do Sol no Alente...

.ligações

Estou no Blog.com.pt

.últ. comentários

Olá amiga, tudo bem convosco, gostei de ver seus m...
pregunto a quem souber não será nos arredores...
Nos últimos anos muito mudou no que respeita às ár...
Vivi em Campo Maior entre 1948 e 1954 (entre os 4 ...
No mês de Novembro visitei o interior desta fortal...
Jardins com arte e muito trabalho. As fotos mostra...
Lindas as imagens deste blog
Muito bonito, uma árvore num meio urbano...
Que beleza :)

.mais comentados

20 comentários
17 comentários
15 comentários
15 comentários
14 comentários
14 comentários
12 comentários
blogs SAPO

.subscrever feeds