Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Festas do Povo de Campo Maior

por Júlia, em 10.08.09

Com alguns meses de antecedência concebe-se o projecto de ornamentação da rua. Depois, as resmas de papel vão sendo transformadas em flores para os canteiros e cordas para o tecto. Horas e horas de trabalho cujo produto vai sendo armazenado, calculadas as quantidades por pessoas experientes nesta tarefa, para que não haja falhas no dia em que elas serão colocadas na rua.

Na véspera do início da festa, todos os vizinhos, a que se juntam as visitas que vão chegando e enchem as casas, vão para a rua fazer a “enramação”. Todo o material vem para a rua e, já colocada a armação de paus e de arcos de madeira, são estendidas as cordas de flores, de franjas, ou lenços que vão fazer o tecto da rua. Este trabalho exige força e destreza e, por isso, é realizado pelos homens. Só depois desta fase terminada e já bem adiantada a noite, se colocam as flores mais trabalhadas que hão-de ficar ao nível da vista de quem passa. Nesta noite praticamente ninguém dorme. Diz-se na vila que, por essa altura, os doentes melhoram e os próprios moribundos adiam a hora de partir. A verdade é que, não costuma morrer ninguém no período das festas.
Quando a manhã nasce é altura de ver como ficaram as outras ruas. A vila aparece transfigurada pelo colorido dos tectos, pela variedade das flores, umas inspiradas em flores naturais, outras fruto da imaginação e da criatividade de quem as fez e, ainda, por uma variedade de objectos feitos de papel.
Com o avançar do dia, as festas deixam de ser só dos campomaiorenses. É a altura dos muitos forasteiros admirarem um trabalho único e irrepetível, como é próprio de tudo o que é artesanal.

 

 

 A Rua de S. João nas Festas de 2004

 

É este o meu contributo para a postagem colectiva "Festas e Tradições na Minha Terra"

 

 

Mais alguma fotos das Festas de 2004

 

 

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 00:09

Redondo. Janela

por Júlia, em 09.08.09

Janela do 1º andar de uma casa na vila de Redondo

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

publicado às 08:53

Redondo. Casa original

por Júlia, em 07.08.09

Fora das muralhas e próximo da Porta da Ravessa, localiza-se esta curiosa casa.

 

 A vastidão da fachada onde apenas se abre uma porta e uma pequena janela, restando uma grande superfície de parede cega, foi compensada com o desenho de uma porta e de uma janela.

 

As falsas janela e porta, não faltando a esta o degrau para facilitar o acesso, devidamente pintado de azul.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

publicado às 08:58

Redondo. Rua do Arrabalde

por Júlia, em 05.08.09

Fora das muralhas situa-se a Rua do Arrabalde, com as suas características casas de arquitectura popular alentejana.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

publicado às 08:48

Redondo. Festa das Ruas Floridas

por Júlia, em 03.08.09

A Festa  das Ruas Floridas da vila de Redondo realiza-se de dois em dois anos. Este ano as ruas enfeitaram-se, como é tradição, com motivos feitos em papel, obedecendo cada uma  das ruas a um determinado tema.

Como tinha programado, visitei a vila domingo de manhã, aproveitando o facto de, por estes dias, o calor ter abrandado nesta região. Pretendo  deixar aqui apenas uma breve amostra do que vi.

 

Frontaria de capela feita em papel.

 

 

 

 

 

 

 

 

Pormenor da rua anterior

Outro pormenor da mesma rua

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

publicado às 09:42

Redondo. Porta da Ravessa

por Júlia, em 01.08.09

Na extremidade Norte da Rua do Castelo, abre-se a Porta da Ravessa. Nome muito familiar devido a uma conhecida marca de vinhos da região.

 

 Vista da Porta a partir da Rua do Castelo, vislumbrando-se o casario do arrabalde.

 

 A porta vista do exterior, com as suas torres cilíndricas, uma das quais coroada por uma frondosa figueira. 

 

 A Rua do Castelo vista através da Porta.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

publicado às 08:41

Pág. 2/2



Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2012
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2011
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2010
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2009
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2008
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2007
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2006
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D