Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Pelourinhos (16)

por Júlia, em 12.07.09

Pelourinho de Redondo. Atribuída a sua construção ao tempo de D. Manuel I, faltam-lhe alguns elementos característicos destes monumentos.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 08:53

Vinhas do concelho de Redondo

por Júlia, em 10.07.09

O verde das vinhas interrompe o amarelado seco que domina a paisagem alentejana. Estas são do concelho de Redondo, com a Serra d'Ossa ao fundo, e que irão dar as uvas de que se faz o excelente vinho da região.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

publicado às 08:52

Estes painéis possuem uma legenda, elucidando sobre a cena representada.

 

"Entrevista do Duque de Bragança com Pedro de Mendonça

1640"

"Partida do Duque de Bragança para Lisboa a ocupar o trono

1640"

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 08:34

Dois dos painéis que representam algumas das actividades da região.

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 08:22

Painéis de azulejos que representam edifícios notáveis de Vila Viçosa.

 

Panteão das Duquesas

Panteão dos Duques e vista da vila

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 08:16

A estação do caminho de ferro de Vila Viçosa, como muitas outras, tem um conjunto de painéis de azulejos. Ao contrário de algumas em que este património se encontra degradado ou foi mesmo retirado do local, a estação de Vila Viçosa mantém os seu painéis em bom estado de conservação.

O edifício perdeu a função inicial e acolhe agora o museu do mármore. Quando visitei a vila, o museu estava encerrado, mas foi possível ver algumas peças que se encontram no exterior e, evidentemente, o painéis de azulejos. Podem, grosso modo, classificar-se este painéis em quatro categorias no que respeita aos motivos representados: com elementos florais ou alegóricos, com imagens da vila, com cenas das actividades da região e com momentos da vida do Duque de Bragança e rei D. João IV.

 

Painel decorativo com elementos florais.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 08:04

Catavento

por Júlia, em 05.07.09

As escolas primárias construídas por ocasião das comemorações dos centenários da fundação da nacionalidade e da restauração, tinham, no cimo das chaminés, cataventos com imagens alusivas à região onde se localizavam. Este é um dos que representa o Alentejo, com a árvore característica, a azinheira, e a actividade ligada à sua exploração, ou seja, a criação de porcos no montado. Claro que não podia faltar o pastor apoiado ao cajado.

 

Toda a vida fui pastor

Toda a vida guardei gado

Tenho uma nódoa no peito

De me encostar ao cajado.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 08:49

Évora. Fonte

por Júlia, em 04.07.09

Fonte localizada no recinto onde se realiza a Feira de S. João. Merecia, talvez, melhor enquadramento.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 08:08

Viana do Alentejo. Fonte

por Júlia, em 03.07.09

Fonte renascentista, integrada no edifício dos Paços do Concelho.

 

(Clicar aqui para ver mais informação)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 08:26

Monte alentejano

por Júlia, em 01.07.09

"A designação de monte cobre, no Alentejo, desde as casas isoladas de foros e courelas, correspondentes afinal aos casais da região atlântica, até aos mais complexos assentos de lavoura, com moradas de ganhões e trabalhadores permanentes, abrigos de carros ou tractores, queijarias, residência do lavrador ou do feitor, às vezes de andar, e até capela, hoje desafectada mas expressão, no campo espiritual, de uma independência que a lavoura sustentou. Os maiores correspondem, pela população, a lugares do Norte, outros deram origem, como o nome indica, a verdadeiras aldeias, com centenas de habitantes."

Orlando Ribeiro (1986). Portugal, o Mediterrâneo e o Atlântico. 4ª edição. Lisboa: Livraria Sá da Costa. pp. 94-95.

.

Actualmente, muitos montes encontram-se abandonados, alguns num avançado estado de ruína. Longe vão os tempos em que os proprietários e agricultores se deslocavam periodicamente com a família e o seu séquito de criados e criadas para passar temporadas nos montes. Agora são poucos os que o fazem. 

Eram o local de veraneio, fugindo das autênticas ilhas de calor que são as vilas e cidades, numa altura em que as viagens eram difíceis e demoradas. No Inverno, era ali que se fazia a matança do porco e se preparavam os enchidos que haviam de durar o ano inteiro.

 

A entrada de um monte

 

Vista das traseiras, distinguindo-se claramente o campanário da capela e as modestas casas dos trabalhadores, em contraste com a forma acastelada da casa principal. Um pormenor interessante é o galarim que remata a casa, ponto de acesso ao terraço e de observação dos domínios dos seus proprietários.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 08:41

Pág. 2/2



Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2012
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2011
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2010
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2009
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2008
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2007
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2006
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D