Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Educação ambiental?

por Júlia, em 16.01.08

 

Uma escola do plano dos centenários. Na altura em que foi construída, na década de 40 do século XX, terão sido plantadas algumas nogueiras que ainda este ano deram frutos. Pelo menos uma delas está morta. As restantes foram agora podadas pelo processo tão em voga nas autarquias. O cepo que se vê em primeiro plano, era uma dessas nogueiras.

 

 

Algumas crianças brincam no recreio que se caracteriza pela sua aridez. Terra batida e algumas árvores que agora foram reduzidas ao que se pode observar.

É a EB1/JI do Bairro Novo em Campo Maior e, segundo o sítio na net, tem projectos ambientais com o objectivo de conservação dos recursos naturais.

 

 

Nota: Partindo do princípio de que foram os serviços camarários a fazer este "trabalho", enviei uma mensagem electrónica ao Presidente da Câmara Municipal de Campo Maior, anexando o texto de C. Coutinho, que pode ser lido aqui . Futuramente, não pode ser invocado o desconhecimento sobre os supostos "benefícios" deste tratamento dado às árvores.

  

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 17:51

Torre comunal

por Júlia, em 15.01.08

 

Torre comunal de Veiros, recentemente restaurada pela Junta de Freguesia. Está localizada no largo da Igreja Matriz. Podem ver-se, à direita, as igrejas da Misericórdia e do Senhor dos Passos. O conjunto das igrejas e a torre encontram-se encastradas nas muralhas da fortaleza medieval. À esquerda vê-se o recomeço da muralha.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 09:50

Fonte Nova de Veiros

por Júlia, em 13.01.08

No extremo sul da vila de Veiros encontra-se, a meio da encosta, a Fonte Nova. É uma fonte com tríplice função: abastecimento de água à população, bebedouro de animais e, um pouco mais abaixo na encosta, o tanque para a lavagem da roupa.

É uma fonte toda feita de mármore e que ainda serve para abastecimento, pelo que me foi dado observar.

 

 

 

Vista geral da fonte com as cinco bicas enquadradas por carrancas muito interessantes pois cada uma ostenta um penteado diferente.

 

As carrancas do lado esquerdo de quem está de frente para a fonte

 

A carranca do meio

 

As carrancas do lado direito de quem está de frente para a fonte

 

O bebedouro para os animais

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 09:32

Pelourinhos (2)

por Júlia, em 11.01.08

O pelourinho de Sousel

 

Pormenor do remate do pelourinho de Sousel

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:04

Paisagens dos arredores de Monforte

por Júlia, em 07.01.08

 

 

A Ribeira Grande de Monforte, a montante da ponte romana. Neste troço da ribeira ainda se faz sentir o efeito do açude, situado a juzante da ponte. As margens da ribeira estão ocupadas por vegetação ripícola. Pela descontinuidade da vegetação que marca o trajecto da ribeira, parece que a intervenção para a construção do açude teve como consequência o abate das árvores e dos arbustos.

 

 

Em primeiro plano vê-se parte da encosta onde se situam a três igrejas. A vegetação rasteira, em parte seca, estava a ser cortada.  Há uma certa desolação na forma como está ocupada esta área. A seguir a fita que marca o caminho entre duas das igrejas.  É possível ver também os rails de protecção do IP2, seguidos de campos onde pastava algum gado  e, marcando o fundo do vale, a vegetação que acompanha as margens da Ribeira Grande de Monforte. Para lá da ribeira, nas elevações domina o montado.

 

 

Esta foto e a anterior foram tiradas do miradouro em que termina o circuito das três igrejas. A paisagem de montado é interrompida por uma pedreira e pela respectiva escombreira.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 17:18

Subindo a encosta em direcção à vila de Monforte, vindo do IP2, ao lado esquerdo da estrada deparamo-nos com três igrejas. Parece que o recinto onde estão situadas estas igrejas foi arranjado há pouco tempo. Liga-as um caminho empedrado, de modo que é possível fazer o circuito entre elas com relativa facilidade. O caminho termina num miradouro, de onde se pode observar uma bela paisagem enquadrando os templos.

No entanto, notam-se muito sinais de vandalismo. Todas as placas que identificam as igrejas foram retiradas. Na página da autarquia apenas vem referenciada a Igreja dde Nossa Senhora do Calvário.

Apesar disso, parece-me interessante ver o conjunto.

  

 Esta é a primeira igreja a que se acede, muito perto da estrada. O portal tem características renascentistas.

 

 Vê-se, à esquerda, o caminho que foi construído para ligar as três igrejas. Esta é a de Nossa Senhora do Calvário.

 

 Pormenor da Igreja de Nossa Senhora do Calvário.

 

Esta é a terceira igreja, situada num ponto mais alto da encosta. As três igrejas formam os vértices de um triângulo, sendo esta a que se encontra a uma altitude superior em relação às outras. É preciso subir um pouco e galgar uma escadaria para lá chegar. Pode notar-se, na fotografia, o pilar que continha a placa identificadora do templo, mas que foi retirada.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:32

 

Antes de visitar a vila de Monforte, vindo do IP2, é obrigatório ver a ponte romana, construída entre os séculos II e IV d.C. É constituída por cinco arcos de volta perfeita de diferentes vãos, os quais diminuem de altura e largura do arco central para os laterais. O material de construção é o granito.

Está classificada como imóvel de interesse público.

Pelo aspecto da ponte, terá sido objecto de intervenção recente. Percorrendo a calçada do tabuleiro da ponte, encontra-se, na margem direita, uma placa informativa sobre este monumento, da responsabilidade do Ministério da Cultura.

A jusante da ponte foi construído um açude. As margens estão arranjadas de modo a permitir que este lugar seja utilizado no verão como local de lazer para a população. Quando da minha visita, em finais de Outubro, o bar de apoio estava fechado.

 

Outra foto

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 13:52

Pág. 2/2



Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2012
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2011
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2010
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2009
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2008
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2007
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2006
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D