Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



O arboricídio continua

por Júlia, em 22.12.09

"Já ninguém hoje em dia duvida do valor e interesse da árvore, tanto se tem escrito e falado sobre o assunto em todo o mundo. 

Quando porém do interesse abstracto pela "Árvore" passamos a considerar a forma como a nossa gente reage perante "aquela árvore que me ensombra a casa ou o quintal", desaparece a unanimidade na apreciação e as consequências são quase sempre desastrosas para a árvore.

A primeira e mais vulgar reacção consiste em limitar os prejuízos atribuídos à árvore - podando-a!

E a prática generalizou-se de tal forma que quase ninguém conhece a imagem de uma árvore intacta, com a forma que Deus lhe deu, e não a caricatura que os homens fizeram dela.

Todos os anos, no fim do Inverno saem ao campo, das mais diversas procedências, brigadas de homens armados de serrotes e tesouras a podar arvoredos das ruas das Cidades e das Vilas e ultimamente até das estradas nacionais."

(Francisco Caldeira Cabral e Gonçalo Ribeiro Teles, A Árvore em Portugal. Assírio e Alvim. p. 15)

 

Já não é preciso esperar pelo final do Inverno para assistir ao corte indiscriminado das árvores. Antes que as folhas caiam, cortam-se os ramos... sempre se poupa o trabalho de varrer as folhas do espaço público. As imagens que se seguem foram registadas no dia 20 de Dezembro, em Campo Maior e ilustram as caricaturas de árvores, neste caso plátanos, que resultam da acção dos serviços camarários.

 

No chamado "campo da feira", onde antes era o fosso que protegia as muralhas seiscentistas e que foi aterrado há muitos anos. Repare-se na quantidade de ramos que estão no chão.

No mesmo local da foto anterior

Junto à estrada que limita o "campo da feira"

No interior do parque da Junta de Freguesia de Nossa Senhora da Expectação

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:25


5 comentários

Imagem de perfil

De Luiz a 23.12.2009 às 19:03

Estive a fazer uma pesquisa partindo do tópico "a poda dos plátanos" e encontrei uma grande quantidade de páginas nas quais se faz referência ao risco de uma poda demasiado radical poder provocar o aparecimento de fungos extremamente nocivos para estas árvores.

Os plátanos são árvores com tendência para atingir grandes dimensões, alcançando facilmente uma volumetria que talvez os seus plantadores não tivessem previsto. Daí, vá de fazer umas podas profundas para manter as árvores mais pequenas.

Num foro espanhol, uns madrilenos consideravam que seria sensato, para evitar estes males, recorrer a espécies de menor porte. Parece que em Madrid também cortam a torto e a direito nos plátanos.

Imagem de perfil

De Júlia a 24.12.2009 às 19:03

Já vi estas podas nalgumas cidades espanholas.
Há alguns blogues onde os autores publicam textos sobre este assunto. O Pedro da Sombra-Verde tem elucidado sobre os prejuízos que resultam desta prática.
Há cerca de um mês, ao passar por Vendas Novas assisti ao corte de uns plátanos muito bonitos que existiam na saída para Montemor-o-Novo, num pequeno largo. Não se percebe o porquê da poda radical porque não estavam a estorvar os prédios que ali existem. Também no quartel, na parada, todos os anos os plátanos têm o tratamento habitual.
Imagem de perfil

De Luiz a 23.12.2009 às 19:12

Até encontrei esta página

http://www.arbolesornamentales.com/Arbolurbano.htm

da autoria de um senhor que parece perceber do assunto.

Talvez fosse bom recomendar a sua leitura aos autarcas e técnicos responsáveis pelas tais podas.

A página está em castelhano, mas para campomaiorenses nem deve ser precisa tradução (!).
Imagem de perfil

De Júlia a 24.12.2009 às 20:28

É muito interessante o escrito desse senhor. Aliás, só vem confirmar o que já tenho encontrado noutros sítios, mesmo em jornais locais. No livro de Caldeira Cabral e Ribeiro Telles que cito, há um capítulo dedicado à poda das árvores. Mas nada demove os doutos "técnicos" das câmaras. Claro que há muitas árvores que foram postas em sítios que não são adequados porque não há planeamento quando se trata de plantar árvores. Aqui e no outro blogue já dei exemplos disso mesmo.
Sem imagem de perfil

De Pedro a 01.01.2010 às 21:21

Olá Júlia,

Coloquei uma chamada de atenção para este caso no Twitter da Árvores de Portugal:http :/ twitter.com /arvoresportugal

Agradeço bastante a referência que fez à "Sombra Verde".

Votos de um Bom Ano. Abraço.

Comentar post



Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2012
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2011
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2010
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2009
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2008
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2007
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2006
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D