Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Flor da Rosa. Mirante

por Júlia, em 26.09.09

 

A casa é tão grande que não coube numa fotografia, apesar da estrada até nem ser estreita e de me ter encostado às casas com que esta confronta.

São casas como esta que lembram velhas histórias de senhores proprietários de terras que não chegava um dia para as percorrer a cavalo. Opulências antigas que se esfumaram em vidas de esbanjamento na capital, convencidos de que a mina não se esgotaria nunca. Mas que um dia acabavam nas mãos de agiotas que se apossavam, por baixo valor, da riqueza que os seus devedores antes ostentaram.

Terras onde os pobres, nos períodos sem trabalho, se alimentavam das ervas que colhiam nos campos porque nem sequer tinham uma nesga de terra onde cultivar o seu sustento. 

É este Alentejo de fortes contrastes sociais que a casa me evoca. 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

publicado às 08:55


8 comentários

Sem imagem de perfil

De Tiago António Pio Veríssimo a 26.09.2009 às 12:52

Era um Palacete que estava em degradação e que felizmente foi adquirido pelo Ramiro da Modecral . Era como a Júlia diz, uma referência dos tempos áureos dos velhos senhores do Alentejo. A sua aquisição foi feita na década de oitenta, o preço até não foi elevado, o que importa é que foi feita a sua conservação e hoje funciona como Pousada.
Há tanto património que precisa de muitos mecenas e no Crato é um Concelho onde se tem preservado esses Palacetes, a Casa do Dr. Homem; o Palacete do Sá Nogueira e os do Dr. Belo Morais são mais um exemplo.
Campo Maior também necessitam de uma dessas injecções.
siripipi-alentejano
Imagem de perfil

De Júlia a 26.09.2009 às 15:51

Parece-me que o palacete que foi comprado e transformado em turismo em meio rural não é este. Este fica na estrada principal e tem uma história muito interessante. Havemos de falar nisso.
Imagem de perfil

De Luiz a 26.09.2009 às 21:23

Mais do que a foto do mirante, retenho o texto. Ou, melhor, as imagens que ele evoca. Nem digo "histórias", porque se trata de uma História cujos últimos protagonistas ainda estão aí vivos para a contar.
Imagem de perfil

De Júlia a 27.09.2009 às 08:06

Esta casa, para mim tem uma história. Noutras terras, tenho fotografado casas que apenas me chamam a atenção por este ou aquele pormenor. Mas esta trouxe-me recordações de histórias que ouvi contar, de ter visto a sua opulência e do desfecho que acabou por ter, ao qual, ainda que em parte, assisti.
Imagem de perfil

De A VER NAVIOS a 27.09.2009 às 20:42

Belo texto a completar a foto.
Foram efectivamente tempos muito maus e de grande sofrimento.
Não podemos deeixar que voltem. Tal não seria possível nos dias de hoje, mas que há uma tendência para um novo maior desequilíbrio na distribuição das riquezas, disso não haja dúvidas.
Boa semana,
José Lopes
Imagem de perfil

De Júlia a 28.09.2009 às 08:19

Agradeço a visita e o comentário.
Agora que vivemos em democracia, cabe-nos a nós lutar para que não voltem a acontecer situações sociais tão injustas. É verdade que ainda existem desequilíbrios, mas, naquela altura, as pessoas não tinham nenhuma protecção. Felizmente, hoje isso não acontece.
Cumprimentos
Imagem de perfil

De Luiz a 27.09.2009 às 22:21

Nessa história terá estado muito presente uma atitude que talvez se possa definir como "atracção pelo abismo"...
É o que deduzo.
Sem entrar em grandes pormenores, recordo-me de um rapaz do Alentejo que herdou uma pequena fortuna, à qual só teve acesso, naturalmente, ao atingir a idade legal (os progenitores morreram num acidente). Mas, quando teve acesso, teve mesmo. Ia com um amigo, que a meio da viagem se vestia de "libré" e lhe conduzia os Jaguares e os Mercedes, em direcção a Lisboa e às noitadas em hotéis de 5* e outros locais, onde era conhecido como "conde". Ainda passou uns tempos a ser "chupado" por uma seita religiosa, da qual foi "corrido" quando deixou de ser uma boa fonte de "$$$" e passou a frequentar casas de alterne rascas. Mais tarde, ouvi dizer que tinha emigrado para a Europa Central, onde foi trabalhar no ramo hoteleiro (lavar pratos ou isso...).
Dava um romancezeco.
Imagem de perfil

De Júlia a 28.09.2009 às 08:22

Há muitas histórias sobre casos desses. A "minha" não é exactamente a mesma, mas tem pontos em comum - hotéis, casinos e outras coisas à mistura.

Comentar post



Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2012
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2011
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2010
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2009
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2008
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2007
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2006
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D