Terça-feira, 2 de Setembro de 2014

O fim de mais um ciclo...

No dia 26 de outubro de 2007, o Região em Notícias de Campo Maior publicou um texto meu que passo a transcrever:

 

A minha intervenção na cerimónia de inauguração do 1º ano de funcionamento da Academia de Aprendizagem e Cultura – Universidade Sénior de Campo Maior, trouxe-me a recordação do meu percurso profissional enquanto professora. Comecei a dar aulas a adultos no ensino particular. Mais tarde, já ensino oficial, durante alguns anos fui professora dos cursos nocturnos, destinados principalmente a adultos. Sentia-me particularmente confortável com estes alunos porque, tal como eu, por várias razões, não tiveram a possibilidade de frequentar a escola na idade considerada normal para o fazer. Compreendia a esforço que faziam para conseguirem aprender e atingir os objectivos que os tinham trazido de novo à escola. Por isso, orientava o meu trabalho no sentido de lhes facilitar essa tarefa. As motivações dessas pessoas eram várias: desde a necessidade de progredir nas carreiras profissionais, até ao interesse pelo saber.

 Na segunda metade da minha carreira profissional, voltei a trabalhar com adultos mas na formação pedagógica dos jovens candidatos a professores e também no processo de profissionalização dos professores, condição essencial para passarem da situação de contratados à de efectivos, integrados nos quadros das escolas.

A minha passagem pela Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação de Lisboa, na situação de requisitada, permitiu-me aprender muito sobre a profissão de professor e desenvolver competências particularmente úteis quando decidi regressar à escola secundária a que pertencia. Este regresso coincidiu com a criação dos centros de formação de associação de escolas. Candidatei-me ao centro de Loures e fui escolhida para o dirigir. Durante 13 anos organizei e geri a formação de professores e funcionários das escolas associadas. Este trabalho determinou que me dedicasse a uma constante preparação sobre temas educativos que a evolução do sistema exigia. Foram anos de uma aprendizagem intensiva. Encontrei, nesta caminhada, colegas que, tal como eu, consideravam a aprendizagem contínua uma necessidade para o desenvolvimento de uma profissão extremamente exigente e complexa, como é a de professor.

Mas, o ciclo fechou-se com a minha passagem à situação de aposentada. No entanto, sempre pensamos que os conhecimentos que adquirimos podem ainda ser importantes para os outros. Acompanhei de perto a criação da Academia dos Saberes – Universidade Sénior do Concelho de Loures, da iniciativa da autarquia local em colaboração com a Casa do Professor do Concelho de Loures, de que sou sócia. Se tivesse ficado em Loures estaria certamente a colaborar neste projecto e noutros da iniciativa da Câmara Municipal de Loures para os quais já tinha sido convidada.

No entanto, por circunstâncias da vida, vim para Campo Maior. Sendo um meio menos rico, considerei que seria fácil colaborar em projectos de interesse para a população e dentro das minhas capacidades. Porém, a minha colaboração não foi aceite nos projectos para que me disponibilizei.

Como é do conhecimento geral, na nossa idade é fundamental manter uma actividade intelectual como condição de qualidade de vida. Ora, nos nossos dias, é possível aprender, criar e comunicar utilizando tecnologias que estão à nossa disposição, bastando para isso dispor de um computador e de ligação à Internet. O que nesse domínio tenho feito, tem sido gratificante porque recebo um retorno muito positivo dos que vêem aquilo que vou produzindo.

Considerando tudo isto, não podia deixar de responder positivamente ao desafio que me foi lançado (pelo então provedor da Santa Casa da Misericórdia de Campo Maior, Engº João Carrilho) para coordenar a Comissão Instaladora da AAC. Trata-se de pôr à disposição da população sénior de Campo Maior uma estrutura que pode permitir-lhes uma melhor qualidade de vida através da actividade física e intelectual. Vivemos numa sociedade em que tudo muda a grande velocidade e, para nos mantermos actualizados, precisamos de aprender durante toda a vida. Assim, com a valiosa contribuição de professores voluntários, os maiores de 50 anos podem frequentar, ao longo do ano, várias disciplinas. A oferta ainda não é tão vasta como desejaríamos, mas queremos começar dando passos pequenos mas seguros.

Além destas actividades, contamos realizar mensalmente pelo menos uma palestra e uma visita de estudo.

Espero sinceramente que esta iniciativa tenha sucesso e que possa contar com os apoios necessários para que venha a constituir um recurso útil para a população sénior de Campo Maior.

 

 

Passaram sete anos. A Academia cresceu, a oferta foi sendo diversificada, graças a novos voluntários que fomos agregando. Os objectivos definidos no início foram sendo concretizados. Mas a lei da vida é assim: tudo acaba um dia e este ciclo está cumprido.

Evidentemente que é o fim de mais um ciclo pessoal porque a instituição tem todas as condições para continuar. Com outras pessoas e, provavelmente, com outros objectivos.

concelhos e outros temas:
publicado por Júlia às 13:47
link do post | comentar | favorito
| | partilhar

.mais sobre mim

O Entre Tejo e Odiana foi distinguido com o prémio Zé de Mello '09, na categoria Blogosfera Regional. . Agradeço a todos os que votaram. . http://josedemello.blogspot.com/

.Maio 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
13
14
16
17
18
19
20
21
23
24
26
27
28
29
30
31

.Onde estou


Ver mapa maior

.pesquisar

 

.posts recentes

. O fim de mais um ciclo...

.arquivos

.concelhos e outros temas

. abrantes

. alandroal

. alcochete

. alcoutim

. aldrabas

. alentejo

. alter do chão

. ambiente

. animais

. arraiolos

. arronches

. artesanato

. árvores

. avis

. beiras

. beja

. borba

. caia

. campo maior

. castelo de vide

. castro verde

. coretos

. crato

. culturas

. educação

. elvas

. ericeira

. estremadura

. estremoz

. eventos

. évora

. festas do povo 2011

. festas do povo 2015

. flores

. fontes

. fronteira

. gavião

. igrejas

. jardim

. lisboa

. marvão

. mértola

. monforte

. montemor-o-novo

. montijo

. mora

. moura

. mourão

. música

. nisa

. olivença

. paisagens

. pelourinhos

. pessoal

. plantas

. ponte de sor

. portalegre

. portel

. porto

. postdoano

. póvoa de varzim

. redondo

. reguengos de monsaraz

. rios

. serpa

. setúbal

. sousel

. trás-os-montes

. viana do alentejo

. vidigueira

. vila viçosa

. todas as tags

.favoritos

. Revisitando Serpa - ruas ...

. Choça

. Aldeia de Sande

. Ribeira de Seda, Pisão

. Entre Tejo e Odiana

. Igreja de Santo Aleixo

. Pôr-do-sol sobre a albufe...

. O nascer do Sol no Alente...

.ligações

Estou no Blog.com.pt

.últ. comentários

Muito bonito, uma árvore num meio urbano...
Que beleza :)
Por acaso esta arvore de flores amarelas dem choro...
Ola,eu tenho essa fruta plantada,o pé esta carrega...
Olá, parabéns pelos artigos! Conte conosco para di...
Parabéns pelo seu bom gosto!
Há procura de cortinas tipicamente alentejanas dei...
Ah e como Évora é bonita... como Portugal é bonito...
O Alentejo tem este condão, esta magia!Tem na pale...
blogs SAPO

.subscrever feeds